Goiasvelho.tur.br - Portal da Cultura e Lazer da Cidade de Goiás Velho
Eventos
Fotos
Vídeos
Teens
Educação
Cidadania
Saúde
PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA - Se é importante? está aqui!

Cidade de Goiás

Hoteis e Pousadas

História da Cidade de Goiás

Monumentos Históricos

Museus

Atrativos

Album de Fotos

Restaurantes

Pizzarias

Bares

Comercios e Serviços

Cora Coralina

Cidade de Goiás

Dicas

Camping

Lan Houses

Artistas Plásticos

Mapa da Cidade

Como Chegar

Eco Turismo

Artesãos

Artesanatos

Clubes

Informações

Agenda 2009

Igrejas Históricas

Prefeitura

Fotos

Câmara Municipal

Telefones Úteis

Balneários

Principais Rios

DESTAQUES

Placas

Melhores Faculdades

Cidadania

Moto-taxis

Parque da Serra Dourada

Ponto de Táxis

Escolas Municipais

Escolas Estaduais

Faculdades

Hoteis Fazenda

Pousadas Ecológicas

Rios e Cachoeiras

 

Igrejas Evangélicas em Goiás

www.goiasagito.com

www.vilaboadegoias.com.br

Vídeos

DJS Locais

Músicas

Camping na Cidade de Goiás

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ministra apoia projeto de criminalização do preconceito de gênero
A ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire, defendeu nesta quarta-feira, em audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, o Projeto de Lei 4857/09, que criminaliza a discriminação contra a mulher, principalmente no ambiente de trabalho.

Para a ministra, o texto apresentado pelo deputado Valtenir Pereira (PSB-MT) vai ao encontro do Segundo Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, lançado pelo governo no ano passado, e pode ser o embrião de um estatuto contra a desigualdade de gênero no País, que abarque também o preconceito contra gays, lésbicas e transsexuais, entre outros.

Caso espanhol
"O projeto pode ser um grande guarda-chuva para trabalhar a igualdade no País nas suas mais diferentes manifestações", disse a ministra. Segundo ela, o Congresso também pode usar a proposta como plataforma para uma norma similar à Lei Orgânica para a Igualdade Efetiva entre Homens e Mulheres, aprovada na Espanha em 2007.

Essa lei instituiu o chamado "princípio da presença equilibrada" de mulheres e homens em todas as instâncias da sociedade, como no ambiente de trabalho e em cargos políticos.

O projeto do deputado Valtenir Pereira é baseado em um trabalho desenvolvido em Mato Grosso pela juíza Amini Haddad Campos, que participou da audiência. Ele lista nove formas de discriminação contra a mulher e impõe uma pena de detenção de 6 meses a três anos, além de multa, para acusados de preconceito de gênero. A pena pode ser aumentada em 2/3 se a discriminação for acompanhada de violência física.

Sugestões
O debate na CCJ foi marcado pelo apoio de representantes do Judiciário e do Ministério Público à proposta. Também foram apresentadas sugestões ao texto. Entre elas estão a inclusão de dispositivos que limitem de ofertas de vagas de trabalho baseadas no sexo, a sanção aos partidos políticos que não respeitarem a cota mínima de candidatas (30%) e salvaguardas para as mulheres que usarem a lei para abrir um processo judicial.

Para a promotora de Justiça no Mato Grosso Lindinalva Rodrigues Corrêa, a proposta torna mais efetivos os mecanismos de combate à desigualdade entre homens e mulheres. "A lei é importante para combater a subalternização das mulheres", disse.

Já a procuradora de Justiça Fânia Helena Amorim, do Ministério Público mato-grossense, lembrou que somente a existência de um preceito constitucional não garante o cumprimento de um direito. O PL 4857, segundo ela, faria um trabalho similar ao Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03) e da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90).

Legislação insuficiente
Para o deputado Valtenir Pereira, o Brasil possui uma legislação moderna de combate ao preconceito de gênero, mas ela ainda não é suficiente para garantir a igualdade de condições entre homens e mulheres no mercado de trabalho e precisa ser aperfeiçoada para dotar o Judiciário de meios de condenar os responsáveis pela discriminação. "O projeto vai acelerar o movimento que existe hoje de respeito aos direitos das mulheres", disse Pereira, que chama a proposta de "Lei da Igualdade".

O debate foi acompanhado pela deputada Thelma de Oliveira (PSDB-MT), relatora do PL 4857 na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. O projeto também será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família e Constituição e Justiça e de Cidadania; antes de seguir para o Plenário.

Íntegra da proposta:
- PL-4857/2009

Notícias relacionadas:
Deputados avaliam relatório do Ipea sobre desigualdade

Reportagem - Janary Júnior
Edição - Regina Céli Assumpção

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara')

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br

 

 

 

Pesquisa Escolar: Geografia * História

Copyright © 2008 - Image Factory , All Rights Reserved - Envie suas sugestões para goiasvelho.tur@hotmail.com


 

 

 

 

 

 

 

Outros em Breve:

Usuários online